Arte brasileira
módulos I e II

 

Módulo I - O Moderno

Turma encerrada

O curso pensa criticamente o desenvolvimento da linguagem modernista e moderna no Brasil, em programas de pesquisa estética formal, linguagem plástica e construção identitária. O arco temporal se inicia no final do Século 19 e segue abordando artistas, escolas, eventos, movimentos culturais, arquitetônicos e sociais, até 1961, ano da 3a exposição de Arte Neoconcreta e da dissolução do grupo neoconcretista.

Com Daniela Labra.

 

Aula inaugural "Cores modernas em Disputa" com Clarissa Diniz, Curadora e Professora EAV Parque Lage:

O "desafio moderno" da arte no Brasil a partir da relação luz (posicionalidade geográfica), cor (sua tradução pictórica) e identidade". Serão abordadas obras de Taunay, Almeida Júnior, Vicente do Rego Monteiro, Tarsila do Amaral, Cândido Portinari e textos de Oswald e Mário de Andrade e Gilberto Freyre, e outros.

Sextas feiras das 10h às 12h (horário de Brasília). 

Total de 5 aulas; Carga horária de 10h

Inclui acesso às aulas gravadas e conteúdos no Fórum do curso por 3 meses.

 

 

 

 

 

Módulo II - O Contemporâneo

Início 10 de Setembro

Sextas feiras das 10h às 12h (horário de Brasília)

Partimos da reflexão crítica ao legado imediato do neoconcretismo e avançamos pela arte conceitual e política nos anos 1960-70, a arte neo-pop dos anos 1980, globalização dos mercados nos anos 1990-2000, o fenômeno dos coletivos artísticos, a revigoração da performance arte, internacionalização da arte brasileira, cenários políticos nacionais e internacionais para o artista brasileiro e as linhas de pensamento que acompanham o fazer artístico contemporâneo.

Com Daniela Labra e aula inaugural de Moacir dos Anjos, Curador, pesquisador e coordenador de Artes Visuais da Fundação Joaquim Nabuco, Recife.

Aula 1 “ARTE E SUBDESENVOLVIMENTO NO BRASIL (1950-1970)”. Com Moacir dos Anjos. A economia, a política e a cultura no Brasil estiveram, nas décadas de 1950 e 1970, sob forte influência do conceito de subdesenvolvimento. A palestra discute como a produção artística brasileira do período incorporou os paradoxos do seu contexto histórico, podendo ser por isso chamada de uma “arte subdesenvolvida”.
 

Aula 2 Ecos concretos e neo concretos na Europa; Pop, conceitualismo e crítica social: Grupo REX; Nova Objetividade Brasileira (1967); Bienal da Bahia (1966), Salão da Bússola, MAM RJ, (1969); 10a Bienal de São Paulo (1969).


Aula 3 Conceitualismo e crítica social II - os Domingos da Criação (1971), 1a Bienal de Arte Latino-Americana de São Paulo (1978) e outros eventos. A obra crítica e curatorial de Frederico Morais, Walter Zanini e Aracy Amaral.


Aula 4 Neo-expressionismo pictórico, arte urbana, performance e outras cenas multimídia nos anos 1980; 18a Bienal de São Paulo  A Grande Tela (1985); Publicações de arte.

 

Aula 5 Anos 1990: globalização e sistema da arte: 24a Bienal de São Paulo (1998); Século XXI – crítica pós-colonial, indentidades, contexto local, mercado geral.

Sextas feiras das 10h às 12h (horário de Brasília);

Total de 5 aulas; Carga horária de 10h

Valor R$ 400,00

Parcelamento pelo PagSeguro ou PayPal

Inclui acesso às aulas gravadas e conteúdos no Fórum do curso por 3 meses.

Arte Moderna Bras_carvao_1959.jpg

Aluísio Carvão | Clarovermelho | 1959

arte brasilcontemp.jpg

Rodrigo Braga | Da alegoria perecível 8 | 2005