GRUPO DE ESTUDOS

Arte e ativismos sensíveis
em um sistema quebrado

Diante do desmoronamento de paradigmas e sistemas conhecidos, em cenários de estupor e urgência, quais seriam os sentidos do fazer e da experiência artística? Considerando a criação e a apreciação
estética como meios para um despertar crítico, é possível reinventar formas sensíveis e resilientes 
de estar no mundo?

 

Enfrentando essas e outras questões refletimos sobre ações e meios para sobreviver aos ciclos de morte e renascimento no dito mundo civilizado contemporâneo. Analisaremos exposições, artistas e teóricos dos séculos XX e XXI cujas obras, algumas produzidas em situações
de guerras e confinamentos, discutem arte, criação, ativismos, culturas não-hegemônicas, narrativas anti-coloniais e outros temas prementes.


////


Os grupos de estudos oferecem aprofundamento teórico, histórico e prático para alunos que tenham ou não um projeto de pesquisa relacionado ao tema proposto.
Ao final, o participante pode apresentar um ensaio crítico ou proposição artística a partir do tema estudado.


Os encontros são acompanhados por fóruns de discussão, troca de referências de pesquisa diversas e bibliografia.
As aulas gravadas são para acesso dos participantes apenas. Certificados de conclusão podem ser emitidos sob demanda.

Bolsas e descontos para estudantes de artes e humanidades mediante contato prévio.

Duração do curso: 8 semanas
Carga horária: 16 horas de aulas + leituras

Início: quarta-feira | 3 de Junho de 2020
Horário: 10h às 12h (Brasília)

Franz Manata e Saulo Laudares | Bandeira | 1998

© Zait | Daniela Labra