#AndreMalraux_4557.jpeg

Arquivos instantâneos:

práticas artísticas e de

colecionismo em redes sociais

MATRÍCULAS ENCERRADAS

Ministrado por

Nathalia Lavigne 

Criado em 2010, quando os principais museus do mundo começaram a rever as proibições de se fotografar nas salas expositivas, o Instagram acompanhou o surgimento de um fenômeno que vem alterando profundamente nossa relação com o campo da arte e os museus. Quase na mesma época, as principais instituições do mundo começaram a rever as proibições de se fotografar nas salas expositivas, incentivando diversas formas de interação utilizando a fotografia.

 

Ao serem compartilhadas em redes em marcadas com hashtags, imagens das obras e dos museus são organizadas sob categorias completamente distintas, gerando uma combinação ilimitada de novas narrativas museológicas.

A partir de uma bibliografia multidisciplinar, incluindo textos de cultura visual, estudos museológicos e de mídia, serão apresentados exemplos de como instituições, artistas e visitantes de museus vem utilizando as redes sociais como um espaço de colecionismo, práticas artísticas ou de ativismo.

Dividido em cinco encontros, o curso inclui também uma abordagem prática em que os participantes serão incentivados a apresentar um ensaio visual a partir de suas coleções de imagens organizadas no Instagram, discutindo processos e metodologias.

PROGRAMA

AULA 1

Arte enquanto reprodução

O impacto da criação da fotografia nos museus de arte e como as discussões sobre a reprodução da obra se relacionam com o debate atual sobre a circulação de imagens
em rede.

AULA 2

Musealização do museu: o visitante como contra-colecionador

A partir de uma discussão sobre a febre da memória que marcou as últimas décadas, o que acontece quando esses espaços também se tornam objeto de musealização? Como os visitantes interferem nos discursos institucionais ao fotografar e reproduzir
imagens das coleções?

 

AULA 3

Intervenções artísticas em redes: práticas colaborativas e inserção midiática

Exemplos de produções artísticas que nascem em redes sociais, a partir de uma discussão sobre agenciamento e estratégias de inserção e (in)visibilidade.

AULA 4

Museus em rede pós-pandemia

Análise de ações colaborativas criadas por instituições durante o fechamento de seus espaços físicos e outros desafios quando o espaço até então complementar das redes foi assumindo um protagonismo na ausência dos espaços físicos. 

AULA 5

Oficina prática e apresentação dos trabalhos dos alun*s.